Todos

MD Codes: como é feito o procedimento e qual a sua duração?

MD Codes: como é feito o procedimento e qual a sua duração?

Atualmente, graças à tecnologia e às pesquisas aplicadas na estética, existem uma série de procedimentos que visam tratar a pele e prevenir o aparecimento de rugas e flacidez. Entre eles, está o MD Codes. A técnica promove o rejuvenescimento cutâneo sem a necessidade de recorrer à cirurgia plástica. Criada pelo doutor e cirurgião plástico brasileiro Maurício de Maio, a técnica consiste em um preenchimento baseado na particularidade de cada formato de rosto. 

O MD Codes é diferente de um preenchimento facial comum. A técnica considera que cada rosto possui um formato diferente e, com isso, a flacidez, a perda de volume e a estrutura óssea também varia de pessoa para pessoa. 

Como é feito o MD Codes? 

Para realizar o procedimento, o médico dermatologista faz um mapeamento do rosto do paciente. Conforme o objetivo almejado, o médico identifica quais são os pontos que merecem atenção, promovendo a melhora das proporções do rosto e o rejuvenescimento. Além disso, a técnica atua na prevenção de rugas e da flacidez.

Esse tipo de procedimento pode ser realizado em toda a face. Entretanto, regiões como queixo, bochechas, olheiras, testa, sobrancelhas são os lugares mais comuns de serem tratados. 

A técnica também utiliza o ácido hialurônico, mas atua com a aplicação controlada da substância. Por isso, o método pode ser realizado em pessoas de qualquer idade, já que esse é um elemento produzido pelo próprio organismo. 

Para se ter uma ideia, 56% de todo o ácido hialurônico produzido pelo nosso organismo está concentrado na pele. A vantagem da utilização deste ácido é que, além de preencher os sulcos entre as células, proporcionando mais firmeza e eliminando as rugas, ele hidrata e previne o envelhecimento precoce, além de manter a pele lisa, elástica e hidratada. 

Quanto tempo dura o procedimento?

O MD Codes é uma técnica estética e não cirúrgica. Por isso, os resultados não são permanentes. De toda forma, a durabilidade das aplicações depende de uma série de fatores, como o tipo de produto utilizado, a região tratada e as características individuais de cada paciente. Com isso, os resultados podem durar de oito meses a dois anos. 

O resultado final pode ser observado cerca de 30 dias após a realização do procedimento, entretanto, o efeito lift já é perceptível logo no primeiro dia. 

Quais as vantagens do MD Codes?

Apesar de ser um procedimento temporário, o método de preenchimento facial possui diversos benefícios. Dentre eles incluímos: 

  • efeito de lifting facial cirúrgico sem cirurgia;
  • reestruturação da face e reposicionamento das estruturas do rosto;
  • eliminação de feições de cansaço e tristeza;
  • harmonização do formato do rosto, corrigindo assimetrias e repondo volume perdido.

Uma das grandes vantagens do MD Codes é o respeito pelas particularidades de cada rosto. Pode-se dizer que esta técnica promove uma harmonização natural, que se baseia na beleza inerente de cada indivíduo.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
7 cuidados com a pele após o peeling

7 cuidados com a pele após o peeling

O peeling é um tratamento estético que consiste na esfoliação das camadas da derme, com o objetivo de remover as células mortas. A técnica promove a regeneração cutânea, melhora o seu aspecto e estimula a produção de colágeno e fibras de elastina.

Além disso, o procedimento trata manchas, promove clareamento, reduz marcas e cicatrizes, diminui linhas de expressão e retira impurezas da pele. 

Tipos de peelings

Físicos

São os mais superficiais e utilizados para o tratamento de acne, poros dilatados e cravos. Ele promove uma microesfoliação da pele por meio da fricção (cristal, diamante, ultrassom ou microdermoabrasão). A esfoliação favorece a renovação da pele e aumenta a penetração de ativos. Essa técnica faz com que a pele fique mais fina, por isso, é indicado o uso constante do filtro solar. 

Químicos

Nesta técnica, são utilizadas ativos como o ácido retinóico, salicílico, glicólico, tricloroacético, solução de jessner, 5-fluoracil e o peeling de fenol. Pode ser de intensidade superficial, média e profunda, de acordo com o objetivo do tratamento. 

Cuidados com a pele após o peeling

A esfoliação pode deixar a pele extremamente sensibilizada. E, dependendo do procedimento e da profundidade da descamação, pode haver inchaço, vermelhidão e ardor na pele. Por isso, é necessário que o paciente siga algumas instruções para não só amenizar esses sintomas, como também potencializar seus efeitos e evitar complicações.

Limpeza

A limpeza deve ser feita de maneira leve. Por isso, prefira o uso de sabonetes neutros ao fazer a higiene do rosto. Esse tipo de sabonete agride menos a pele, ajudando a recuperar sua barreira natural.

Fotoproteção

O principal cuidado após a realização do peeling é o uso do protetor solar. Prefira os que oferecem fatores altos de proteção e faça a reaplicação a cada três horas, mesmo em dias nublados ou dentro de casa. A proteção contra os raios ultravioleta e a luz visível é necessária. O peeling promove uma hipersensibilização na pele, que, desprotegida, pode sofrer com manchas fortes.

Hidratação

Outro fator importante, antes e depois do procedimento, é a hidratação. Ela irá agir na retirada da pele que irá descamar, além disso, a reposição da água ajudará a reduzir o inchaço e a regenerar a pele. 

Água termal

A água termal, além de promover hidratação, ajuda a melhorar o ardor, já que possibilita um resfriamento no local.

Não coloque a mão no local tratado

Ao passar pelo procedimento, o rosto pode ficar sensível e incômodo. Por isso, evitar colocar a mão é essencial para que não haja complicações, incluindo infecções. Além disso, não tente remover a pele que está descamando. Isso evita cicatrizes.

Cremes cicatrizantes

Esse tipo de creme auxilia a troca da pele: tanto na descamação quanto na formação da nova camada.

Compressas

Compressas geladas de soro fisiológico ou chá de camomila tendem a acalmar a pele e previnem o inchaço.

O peeling é um procedimento que proporciona inúmeros benefícios. Mas, para que esses resultados sejam alcançados, é preciso que o paciente siga todos os cuidados recomendados pelo dermatologista para que não ocorram complicações.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Peeling químico: o que esperar do procedimento?

Peeling químico: o que esperar do procedimento?

Ter uma pele com aparência saudável, jovem, firme e com viço é o desejo de muita gente. Para isso, existem alguns procedimento estéticos que prometem não só o rejuvenescimento da pele, como também o tratamento de acnes, rugas, manchas e melasma. Uma boa alternativa para isso é o peeling químico, técnica que visa melhorar a textura da pele, removendo as camadas superficiais danificadas.

O que é peeling químico?

Esta categoria de peeling é realizada por meio de aplicação de agentes que removem as camadas superficiais da pele, com o objetivo de promover sua regeneração. O procedimento pode ser superficial, médio ou profundo. O objetivo da cliente, mediante à avaliação médica, é o que determinará qual será a intensidade do tratamento. 

A esfoliação promovida pelo peeling é realizada por meio de ácidos. Eles são escolhidos conforme o tipo de tratamento que será feito. São utilizados o ácido salicílico, tricloroacético, fenol, glicólico, retinoico e 5-fluorouracil.

Tipos de peeling

Peeling superficial

A principal característica deste tipo de peeling é que o seu resultado é sutil e pode ser realizado com outros tipos de tratamento. Ele é indicado para quem possui pigmentação irregular, rugas superficiais e acne. Nele, apenas a camada externa da pele é removida, por isso, pode ser realizado várias vezes. Geralmente, são necessárias seis sessões, feitas uma vez por semana. 

Ao realizar o procedimento, é comum que nas primeiras sessões o paciente perceba irritação, ardor, descamação e vermelhidão na pele.

Peeling médio

Esta opção é indicada para os tratamentos de cicatrizes de acne, rugas médias e hiperpigmentação da pele. O peeling médio age na epiderme, camada superior da pele, e na camada superior da derme. Por atuar em uma camada um pouco mais profunda, o peeling médio não se deve fazer com frequência. O ideal é que as sessões sejam realizadas entre seis e 12 meses. Dentre as reações, estão vermelhidão, descamação, ardor e irritação.

Peeling profundo

Este é o tipo mais forte, que atinge a camada inferior da derme. Ele é feito em pacientes que desejam tratar rugas profundas, pele danificada pelo sol e manchas. Por ser uma técnica mais agressiva, são utilizados anestésicos ou sedação. 

Diferente dos demais tipos, o peeling profundo geralmente requer um pré-tratamento, que visa deixar a pele apta para o recebimento dos produtos e para o processo de cicatrização. Por promover uma descamação extremamente intensa, esse tipo de peeling causa irritação, inchaço, vermelhidão e descamação da pele.

Quais as indicações do peeling químico?

O tratamento é indicado para as seguintes alterações na pele:

  • acne ou cicatrizes de acne;
  • manchas provocadas pela idade;
  • rugas;
  • sardas;
  • pigmentação irregular da pele;
  • pele áspera e descamativa;
  • cicatrizes;
  • prejuízos provocados pelo sol.

Apesar dos vários benefícios proporcionados pelo peeling, é importante saber o que ele NÃO TRATA, como:

  • rugas profundas;
  • excesso de pele ou de flacidez;
  • produção de colágeno;
  • pequenos vasos;
  • tamanho dos poros;
  • cicatrizes profundas.

O peeling químico promove uma descamação da pele. Por estar sensibilizada, é essencial que o paciente faça a fotoproteção correta, utilizando o protetor solar a cada três horas Também é indicado o uso de proteção no rosto, com chapéus ou bonés, além de evitar a exposição solar. Deve-se hidratar a pele e fazer a higienização conforme a indicação do dermatologista.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Como o microagulhamento auxilia no tratamento de estrias?

Como o microagulhamento auxilia no tratamento de estrias?

Em muitas pessoas, principalmente nas mulheres, as estrias podem causar vergonha e impacto negativo em sua autoestima. Muitas, além de esconder o corpo, deixam de aproveitar momentos na praia ou em piscinas porque não querem deixar as estrias à mostra. Se essas marquinhas são um incômodo, o microagulhamento é um opção para tratá-las.

Estrias são sulcos na pele, resultado de um rompimento das fibras de colágeno e elastina. Elas se formam devido à uma diminuição de espessura da pele, provocadas por um estiramento. Por isso, as estrias podem aparecer quando há aumento de peso, gravidez, inserção de prótese mamária e crescimentos repentinos, como ocorre em adolescentes. Além disso, fatores hormonais, uso de anabolizantes e medicamentos à base de corticoides também podem provocar o aparecimento desses sulcos. 

Dentre as formas mais recentes e eficazes para o tratamento da estria está o microagulhamento. Esta técnica, conhecida também como Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas (IPCA), é um procedimento dermatológico em que diversas microagulhas de aço cirúrgico são aplicadas na pele. A perfuração tem o objetivo de estimular a produção de colágeno. 

Por que o microagulhamento auxilia no tratamento de estrias?

A técnica promete reduzir as estrias em até 80%. Ele é tão eficaz porque atua diretamente no que provoca nos sulcos na pele.

Os micro furos, realizados pelo roller, incentivam um processo de inflamação da área tratada, estimulando os fibroblastos – células que produzem as fibras de colágeno e elastina. Essas proteínas são responsáveis pela estrutura e firmeza da pele, preenchendo os sulcos que formam as estrias.

Além disso, durante este processo, ocorre também a angiogênese, que é o processo de formação de vasos sanguíneos a partir de vasos preexistentes, promovendo uma melhora da nutrição da área tratada.

Como é feito o microagulhamento?

O primeiro passo para realização do IPCA é a higienização da pele. Em seguida, o médico dermatologista irá ajustar o tamanho e os tipos das agulhas que serão utilizadas, já que para cada caso é necessário atingir uma camada diferente da pele. Utiliza-se, então, o roller em posições horizontais, verticais e diagonais para ambos os lados, com o objetivo de que toda a área seja atingida e receba o estímulo necessário para a produção de colágeno.

Para evitar a dor, recorre-se ao uso de anestésicos, que podem ser injetáveis ou de uso tópico.

Os resultados começam a ser percebidos 15 dias após o procedimento. Entretanto, o auge da produção de colágeno ocorre apenas cerca de três meses depois. O número de sessões pode variar de acordo com o caso, mas, geralmente, são necessárias três delas. O tempo de realização entre elas é de um mês.

Existem contraindicações?

Apesar de ser um procedimento simples, o IPCA possui algumas contraindicações. Por isso, alguns fatores impedem a realização do procedimento, como:

  • o uso de anticoagulantes;
  • diabetes não controlada;
  • câncer de pele na área em que o procedimento será realizado ou próximo;
  • herpes ativa ;
  • psoríase;
  • infecções bacterianas.

É importante lembrar que o paciente não deve realizar o procedimento se estiver com a pele bronzeada, queimada ou lesionada.

Além de tratar estrias, o microagulhamento é realizado para o tratamento de diversos problemas de pele, como cicatrizes de acne, rugas, flacidez e melasma. Ao ser combinado com outras técnicas, como é o caso do Drug Delivery System, os resultados são ainda mais potentes.
Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Clareamento da pele com Drug Delivery

Clareamento da pele com Drug Delivery

Clarear as manchas na face é um dos desejos mais comuns nos consultórios de dermatologia estética. Para ajudar ainda mais os tratamentos para este fim, o Drug Delivery é uma técnica cada dia mais popular nos consultórios de dermatologia. Falaremos mais sobre a técnica a seguir.

Por que ocorrem as manchas na pele?

As manchas na pele são um desequilíbrio da melanina, que gera demarcações pelo rosto. Elas podem ter diversas origens, como hormonais, genéticas ou serem provocadas pelos hábitos de vida. Além de serem muito incômodas, elas são de difícil remoção e, muitas vezes, apenas o tratamento tópico não é suficiente. 

Talvez você não saiba, mas apenas 0,03% dos produtos cosméticos aplicados na pele chegam até as camadas mais profundas do órgão. Por esse motivo surgiu o Drug Delivery.

O Drug Delivery System (DDS) é um procedimento utilizado por médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos, que visa o impulsionamento da absorção de produtos tópicos na pele. 

Como a derme possui diversas camadas, é natural que os produtos estéticos usados não atinjam todos os níveis necessários para sua completa eficácia. O DDS funciona como um sistema de entrega e proporciona caminhos para que as substâncias tópicas alcancem os níveis internos da pele. 

Para quebrar essas barreiras, é necessário realizar procedimentos a laser ou microagulhamento. Tais técnicas fazem com que a pele fique exposta, proporcionando o aumento de produção de fibras, colágeno e elastina. Quando associado a outros ativos, o resultado do procedimento é mais visível e potente.

Drug Delivery para o clareamento de pele

Existem algumas técnicas utilizadas no DDS, entretanto, as mais comuns são o microagulhamento e o laser fracionado. No microagulhamento, a pele é perfurada com centenas de micro agulhas, que estimulam a produção de colágeno e criam vasos sanguíneos novos. O procedimento também proporciona um aprimoramento no processo de oxigenação e nutrição dos tecidos. Assim como o microagulhamento, o laser também provoca lesões na pele, impulsionando sua renovação.

O tratamento de melasma e o clareamento da pele são os motivos principais para a utilização do DDS. As substâncias mais utilizadas para o clareamento de manchas de pele com o Drug Delivery são:

Vitamina C

Além de antioxidante, o ácido ascórbico interfere na geração e na propagação de espécies de oxigênio reativas mediadas pela radiação UV. Além disso, ele inibe a melanogênese, favorece a síntese de colágeno, inibe a peroxidação lipídica, protege a pele contra os raios UV-B e diminui a atividade da enzima responsável pela síntese de melanina.

Ácido Tranexâmico

Este ácido bloqueia os estímulos melanócitos, isso significa que ele impede que as manchas que já existam escureçam ainda mais e inibe o surgimento de novas. Outra vantagem é que ele estimula a formulação de uma resposta inflamatória no tecido da pele contra a presença da melanina.

Peptídeos TGP-2

A substância age em todas as etapas da melanogênese, reduzindo a liberação da enzima responsável pela síntese de melanina. 

Além do clareamento, o sistema de entrega pode ser realizado para outros tipos de problemas. Principalmente aqueles em que são necessárias a formação de novas células, como no tratamento de cicatrizes, pele envelhecida, rugas, flacidez, estrias, cicatrizes de acne e queda de cabelo. 

Por deixar a pele sensibilizada, o Drug Delivery System deve ser feito apenas em consultórios. Dentre as vantagens dessa técnica é que, além de potencializar a penetração das substâncias na pele, ela reduz quase pela metade o número de sessões estéticas.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Drug Delivery: como é feito o procedimento?

Drug Delivery: como é feito o procedimento?

O Drug Delivery vem se tornando um importante método para potencializar os procedimentos estéticos. Por que? A pele possui três camadas e, quando aplicamos algum produto nela, a substância, ao contrário do que muitos acreditam, não é completamente absorvida. Para se ter uma ideia, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), apenas 0,03% de um produto aplicado via tópico é capaz de chegar nas camadas mais profundas da pele.

Isso acontece devido a uma série de fatores, entre eles estão as barreiras naturais que todos nós possuímos, como o estrato córneo, que é composto por queratina. Como consequência, diversas substâncias tópicas utilizadas em tratamentos estéticos não agem com a potência que possuem. 

O drug delivery surgiu como uma alternativa para impulsionar a permeabilidade de produtos tópicos nas camadas internas da pele. O “serviço de entrega” consiste na quebra da barreira do estrato córneo por meio de microagulhamento ou laser, com o objetivo de facilitar a absorção de substâncias. Assim, a técnica permite alcançar resultados mais rápidos e eficientes nas camadas profundas da pele, responsáveis pela formação de elastina e fibras de colágeno.

Além de potencializar a penetração das substâncias na pele, o método reduz quase pela metade o número de sessões de tratamentos estéticos.

Quais as indicações do drug delivery?

A entrega de substâncias nas camadas mais profundas da derme pode ser utilizada em diversos tipos de problemas. Entretanto, ele é recomendado em casos em que sejam necessárias a formação de novas células, como no tratamento para:

  • cicatrizes: que dependem da neoformação do processo cicatricial para que a pele tenha um aspecto mais homogêneo, firme e claro;
  • melasma: que necessita da renovação celular sem pigmentos escuros;
  • pele envelhecida: que necessita da produção de novas fibras de colágeno e elastina. 

Além disso, o serviço de entrega pode ser utilizado no tratamento de rugas, flacidez, estrias, cicatrizes de acne e queda de cabelo.

Como é feito o drug delivery?

O drug delivery pode ser realizado por meio de microagulhamento e de laser. Ele deve ser realizado apenas em consultórios, já que pode provocar uma intensa sensibilidade na pele do  paciente.

Microagulhamento

O microagulhamento é uma técnica que consiste na perfuração da pele com pequenas agulhas. Os micro furos são realizados por um roller que contém centenas de pequenas agulhas, que tem o objetivo de estimular a produção de colágeno e de criar vasos sanguíneos novos, além de aumentar a vasodilatação. Essa técnica faz com que o processo de oxigenação e nutrição dos tecidos se aprimore. 

Como o microagulhamento já atua no aumento da produção de colágeno e elastina, quando associado ao uso de outros ativos, como um clareador ou uma vitamina C, os resultados são ainda mais surpreendentes. 

Laser

O laser fracionado também é utilizado em associação com a técnica de entrega, uma vez que ele também provoca microlesões na pele, estimulando a troca de tecido. Assim como no microagulhamento, podem ser utilizadas substâncias como clareadores, antioxidantes e ácido hialurônico. 

O drug delivery é um tipo de tratamento que vem ganhando cada vez mais força devido ao avanço da nanotecnologia. É um procedimento simples e que visa potencializar as atribuições de substâncias comumente utilizadas em tratamentos estéticos, proporcionando mais autoestima para o paciente.

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Benefícios do ácido hialurônico para a pele

Benefícios do ácido hialurônico para a pele

Muito se fala sobre os benefícios do ácido hialurônico  para o rejuvenescimento da pele. Essa substância encontra-se no organismo de todo animal e, apesar de estar presente em todos os órgãos, é na pele que ela mais se concentra. O elemento atua no preenchimento dos espaços entre as células. Essa função é responsável por deixar a pele com aspecto de hidratada, lisa e elástica. 

No entanto, com o avanço da idade, o organismo produz o ácido hialurônico em menor quantidade. Com isso, aparecem os sinais do envelhecimento. É assim que as rugas, a flacidez e as linhas de expressão começam a ficar mais evidentes, já que a pele perde parte da sua estrutura de suporte e hidratação com o passar dos anos.

Uma das vantagens do ácido hialurônico é que ele pode ser reposto artificialmente por meio do preenchimento facial e tópico. É recomendado que o uso do ácido comece a ser feito por volta dos 25 anos, idade em que as taxas da substância começam a decair. Dessa maneira, evita-se o surgimento precoce de flacidez, rugas e outros sinais do envelhecimento. 

Como repor o ácido hialurônico?

Preenchimento facial

O preenchimento feito com o ácido injetável tem o objetivo de reestruturar a pele envelhecida, preenchendo as rugas, sulcos e linhas de expressão. Outra vantagem do ácido hialurônico é que, como ele atua na reposição de volume, pode ser utilizado, também, no tratamento de cicatrizes de acne, no preenchimento de olheiras e na melhora do volume dos lábios e do contorno facial. 

A aplicação do ácido hialurônico deve ser realizada apenas por dermatologistas e cirurgiões plásticos. Os resultados podem ser percebidos logo após o procedimento. Pode haver a presença de pequenos hematomas, inchaço e dores leves após a sessão. 

É importante frisar que a técnica não é definitiva e o procedimento pode durar entre seis meses e dois anos, dependendo da profundidade da aplicação, do objetivo, da quantidade de ácido que foi utilizado e do organismo de cada pessoa. 

Uso tópico

O ácido hialurônico pode ser usado por meio de séruns e cremes. Quando de uso tópico, o ácido atua hidratando profundamente a pele, melhorando não só a sua textura, como também atenuando rugas e sulcos. Seus efeitos são ainda mais potentes quando combinados com outras substâncias, como a vitamina C e retinóides. 

Esse tipo de ácido pode ser utilizado tanto de dia quanto de noite. Ao ser usado pela manhã, o produto auxilia na proteção contra a perda de umidade no decorrer do dia, garantindo, assim, a hidratação da pele.

Benefícios da reposição do ácido hialurônico

O ácido hialurônico possui muitos benefícios. Entre eles estão:

  • fortalecimento da pele;
  • prevenção do envelhecimento precoce;
  • hidratação;
  • correção de imperfeições;
  • controle de flacidez;
  • prevenção do surgimento de rugas e linhas de expressão;
  • ação antioxidante;
  • proteção contra a radiação solar e a poluição atmosférica.

O ácido hialurônico traz diversas vantagens para a pele. Além de hidratar, ele previne o envelhecimento precoce, evita o aparecimento de rugas e linhas de expressão, controla a flacidez, previne alguns tipos de olheiras e fortalece a pele. Ele também pode ser usado na harmonização por meio de preenchimento facial, proporcionando um rosto mais simétrico ao paciente.  Além disso, o ácido, se usado corretamente, junto da proteção solar, garante uma pele viçosa, com firmeza e elasticidade. 

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Harmonização facial: o que esperar do procedimento?

Harmonização facial: o que esperar do procedimento?

Em todo mundo, o Brasil é o segundo país no ranking de procedimentos estéticos, perdendo apenas para os Estados Unidos, segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica. Além das opções cirúrgicas, a procura por procedimentos menos invasivos e não definitivos ganha cada vez mais adeptos. Dentre os mais pedidos, a harmonização facial tem se tornado cada vez mais popular.

Inclusive, esse tipo de alternativa aumentou de 17,4% em 2014 para 47,5% em 2016, quando se realizou a última pesquisa. 

A busca por uma aparência mais jovial e uma pele perfeita são fatores que podem contribuir com a autoestima. A harmonização facial é um desses métodos. A técnica visa proporcionar uma face mais simétrica ao paciente, que, além de aperfeiçoar os traços, trata rugas, olheiras e linhas de expressão. 

Conheça mais sobre o procedimento a seguir.

O que é a harmonização facial e como ela é feita?

Diferente do que muitos imaginam, a harmonização é um conjunto de procedimentos estéticos que variam de acordo com o objetivo do cliente. Para isso, o médico poderá recorrer às seguintes técnicas:

  • toxina botulínica – para o tratamento de rugas; 
  • ácido hialurônico – para o preenchimento de sulcos (rugas); 
  • microagulhamento – para estimular o colágeno e combater o envelhecimento;
  • fios de sustentação – para um efeito lifting (levantar a pele flácida); 
  • lipo de papada; 
  • bichectomia.

 

A harmonização é feita de acordo com os desejos do paciente. Para isso, o médico realiza uma análise facial e registra os ângulos do rosto da pessoa. A partir daí, os procedimentos são feitos por etapas. 

Por se tratar de procedimentos não cirúrgicos, as técnicas utilizadas são de rápida recuperação e os resultados podem ser observados a partir de 15 dias, de acordo com o procedimento realizado. 

É importante lembrar que esse conjunto de procedimentos não é definitivo, por isso, é necessário o retoque, que podem variar de seis a 24 meses, de acordo com a técnica utilizada. 

Resultados da harmonização facial

Contorno facial

O médico avalia se é necessário melhorar o contorno do rosto, sejam os traços, projeção ou a reposição de volume na pele.

Linhas de expressão e rugas

Várias técnicas podem ser utilizadas, como as linhas de sustentação, o preenchimento e a aplicação de botox.

Mandíbula

Definição do ângulo da mandíbula, tornando-a mais evidente. Esse é um dos resultados mais atraentes da técnica, principalmente para os homens. 

Nariz

A rinomodelação é um procedimento para a modelação do formato do nariz com o uso de preenchimentos, como o ácido hialurônico. Os resultados são semelhantes à cirurgia.

Supercílios

Dentre as possibilidades dessa região está a elevação e a correção do ângulo das sobrancelhas.

Maçãs do rosto

Podem sofrer alterações, como ganhar mais volume para deixá-las em evidência.

Papada 

Diversas técnicas podem ser utilizadas para a correção da papada. Dentre elas estão o uso de fios de sustentação e lasers. 

Lábios

Os lábios também podem ser modificados com preenchimentos, proporcionando mais volume e um formato alongado. 

Apesar de parecer simples, a harmonização facial pode trazer riscos ao paciente, como alergias, deformidades e necrose. Por isso, é essencial que o paciente procure apenas dermatologistas e cirurgiões plásticos que estejam habilitados para a realização de tais procedimentos. 

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em dermatologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
Resistência à insulina: sintomas, tratamentos e causas

Resistência à insulina: sintomas, tratamentos e causas

Quando um indivíduo possui resistência à insulina, significa que em seu organismo existe um desequilíbrio entre a quantidade de insulina produzida pelo pâncreas e a forma com a qual ela atua. Esse hormônio é responsável pela entrada de glicose nos órgãos e nos tecidos, como músculos, fígado e tecido adiposo. Na resistência insulínica o que acontece é que a glicose se acumula no sangue, pois ela não age como deveria. 

Como a glicose não chega onde deveria, o organismo entende que há algo errado. Ele começa, então, a secretar mais insulina para que sua função seja cumprida. O problema acontece quando, em muitos casos, essa insulina produzida a mais também não consegue cumprir sua função. Como resultado, o sangue fica com alta concentração do hormônio e da glicose, levando a quadros de pré-diabetes ou até mesmo à diabetes. 

A resistência insulínica é muito comum em adolescentes, principalmente do sexo feminino, já que nesse período existe uma redução fisiológica na sensibilidade à insulina. 

Sintomas da resistência à insulina

A patologia é assintomática, por isso é perigosa. Quando sintomas aparecem, pode ser que já esteja estabelecido um problema maior, como a diabetes. Entretanto, muitos indivíduos podem apresentar a acantose nigricans, que são manchas escuras nas dobras do pescoço e da axila, e acrocórdons, lesões semelhantes a verrugas. 

Como a resistência insulínica pode estar associada à síndrome dos ovários policísticos, é possível que mulheres desenvolvam também a Síndrome de HAIR-AN, que possui sintomas como aumento de pelos no corpo, acne, oleosidade na pele, menstruação irregular.

Tratamentos

Tratar a resistência insulínica é importante para evitar o surgimento de pré-diabetes e diabetes. O tratamento é simples e consiste basicamente em uma mudança no estilo de vida, já que a patologia está associada ao ganho de peso. Por isso, o paciente que possui a resistência deve estar ciente de que ele deverá mudar a alimentação, praticar atividade física e fazer acompanhamento médico para monitorar os níveis glicêmicos. 

Além disso, quando as chances do paciente de desenvolver a diabetes for muito grande, o médico poderá receitar medicamentos que visam controlar a produção de glicose pelo fígado e melhorar a ação da insulina. 

O diagnóstico é realizado por meio do exame de curva glicêmica, feito em laboratório, que mede a glicose presente no sangue. Além dele, pode-se fazer, também, o exame de glicemia em jejum. Em muitos casos, deve-se calcular o índice Homa, que avalia a quantidade de açúcar e de insulina presentes no sangue. 

Causas 

Apesar de estar ligada à predisposição genética, uma vez que a resistência é um fator de risco para o desenvolvimento de diabetes, o ganho de peso também possui destaque dentre os responsáveis. Além do excesso de peso, má alimentação, sedentarismo, pressão alta e níveis altos de triglicérides e colesterol, também estão associados ao surgimento da síndrome. 

Alterações hormonais também estão ligadas ao desenvolvimento da resistência à insulina. Por isso que muitas mulheres que possuem síndrome do ovário policístico podem ser acometidas por tal patologia. As mesmas alterações que provocam a síndrome, também são responsáveis pela alteração do funcionamento da insulina. 

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em nutrologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos
O que é síndrome metabólica?

O que é síndrome metabólica?

A síndrome metabólica, conhecida também como plurimetabólica, é um termo que se usa para denominar uma série de fatores de risco para doenças cardíacas, derrames e diabetes. Essa patologia tem como base a resistência à ação da insulina. Ou seja, como a insulina não age como deveria nos tecidos, o pâncreas aumenta a sua produção, fazendo com que o nível desse hormônio no sangue fique elevado.

Essa síndrome é conhecida como um problema da modernidade, já que é resultado da obesidade provocada pelo sedentarismo e alimentação inapropriada. Geralmente, a síndrome plurimetabólica acomete indivíduos adultos e as chances de desenvolvê-la aumentam conforme os anos vão se passando. Apesar de serem mais comuns em homens, mulheres com ovários policísticos também estão suscetíveis, independente de seus hábitos ou peso. 

Sintomas e diagnóstico da síńdrome metabólica

Assim como várias patologias do gênero, a esta síndrome um problema silencioso e, justamente por não apresentar sintomas perceptíveis em sua fase inicial, deve-se prestar bastante atenção nos fatores de risco. 

Para fazer o diagnóstico, o médico se baseia nas características clínicas do paciente e no resultado dos exames de laboratório, que mostram os níveis de triglicérides, glicemia, colesterol. Um dos critérios principais para a verificação da síndrome metabólica é a medida da circunferência abdominal. Quando os valores são acima do indicado, isso significa que o indivíduo possui obesidade visceral, ou seja, a gordura está acomodada junto aos órgãos e por trás dos músculos.

A síndrome, portanto, ocorre quando há três ou mais dos fatores:

  • obesidade visceral ou central: circunferência da cintura superior a 88cm em mulheres e 102cm em homens;
  • hipertensão arterial: pressão arterial sistólica ³ 130 e/ou pressão arterial diastólica ³ 85 mmhg;
  • glicemia alterada (glicemia ³110 mg/dl) ou diagnóstico de diabetes;
  • triglicerídeos ³ 150 mg/dl;
  • hdl colesterol £ 40 mg/dl em homens e £50 mg/dl em mulheres

Como prevenir a síndrome?

A síndrome plurimetabólica é considerada um problema contemporâneo, pois está ligada ao estilo de vida moderno. Por isso, é recomendável estar atento aos seguintes pontos, a seguir.

Ter uma alimentação saudável

Uma das características do mundo atual é a praticidade. Ela está presente, também, nas escolhas que são feitas em relação à alimentação, levando, assim, ao consumo de produtos prontos e de fácil preparo, como os ultraprocessados e industrializados. 

Além de possuírem baixíssimo valor nutricional, esse tipo de alimento contribui com os fatores de risco da síndrome. Por isso, dê preferência ao consumo de frutas, legumes, verduras e carnes magras.

Pratique atividade física

Como a síndrome está associada à obesidade, exercitar-se é essencial para a perda de peso e combate dos altos níveis de triglicérides e colesterol. 

Vá ao médico

Já que a síndrome é uma doença silenciosa, faça consultas e exames com regularidade para verificar como está a sua saúde. Assim, você antecipa quaisquer tipos de patologias. 

O tratamento prévio da síndrome metabólica consiste, basicamente, em uma mudança de hábitos. O uso de medicamentos acontece quando os fatores de risco estão avançados e possuem um difícil controle. Por isso, ter uma vida saudável e evitar o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro pode proporcionar benefícios que vão muito além de prevenir a síndrome. 

Quer saber mais? Estamos à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficaremos muito felizes em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do nosso trabalho em nutrologia  em Cotia!

Posted by Dra. Larissa Viana in Todos